Por Gabriel Chalita

Mircea Eliade, estudioso que dedicou a vida à pesquisa das religiões, afirma que São Francisco de Assis, durante a juventude, devorava os romances franceses de cavalaria, admirando, sobretudo, a perfeição moral de Percival e Galaad, dois dos doze cavaleiros do Rei Arthur. Pouco depois, Francisco de Assis tornou-se também uma espécie de cavaleiro de Cristo, tomando para si a missão de propagar os ensinamentos cristãos por meio do despojamento de bens materiais e da dedicação exclusiva aos necessitados.

Por Gabriel Chalita

A grandiosidade com que foi construído o personagem do jovem Raskólnikov – figura central do romance Crime e Castigo, de Dostoiévsky – nos obriga a relevar a atitude atroz cometida pelo protagonista da trama. O estudante Rodka (como era chamado no romance) visava, por meio de um latrocínio, uma forma rápida de ascender socialmente. Na verdade, sem a sua personalidade complexa e transtornada, a literatura teria perdido um dos textos mais brilhantes de sua história.

Por Gabriel Chalita

Professor. Uma palavra de traduções diversas que encerra significados tão numerosos quanto belos. Um termo apropriado àqueles que acreditam na grandiosidade da doação, do altruísmo e da capacidade de despertar outros seres humanos para a aventura ímpar do aprendizado e da transcendência. Neste dia 15 de outubro, é importante refletir sobre esse profissional, que dedica sua vida à propagação de saberes.

Publicidade