Por Gabriel Chalita

Construção, resgate, amor. Palavras fortes, mágicas e repletas de significados. Juntas, elas compõem o roteiro que norteia a multiplicidade de trabalhos que envolve o setor educacional em toda a sua extensão. A sala de aula funciona como a mola propulsora dessa engrenagem complexa e fascinante que é o ato de ensinar, de transmitir o saber. O conceito de educar é muito maior do que simplesmente ministrar as disciplinas tradicionais do currículo escolar. Educar é preparar para a vida, para o trabalho e para os inúmeros desafios que compõem a trajetória humana, incluída nesse processo a transmissão das disciplinas tradicionais.

Por Gabriel Chalita

Os modelos ultrapassados de ensino não têm mais lugar na sociedade competitiva e individualista do século XXI. A Era da Informação e do Conhecimento não condiz com a massacrante e antiquada educação elitista que promovia alunos “intelectualmente mais capazes” e excluía estudantes tachados como “problemáticos” por meio das repetências contínuas. Era um sistema castrador que eximia de si a responsabilidade de formar indivíduos de forma igualitária e condizente com a realidade democrática vigente.

Por Gabriel Chalita

Garantir a segurança nas escolas é uma medida imprescindível para proporcionar tranqüilidade aos professores, alunos e pais. A urgência em estabelecer medidas que contenham a violência – que toma proporções gigantescas em todas as esferas sociais e que se reflete também nos estabelecimentos de ensino – exige um trabalho sério, rápido e eficaz. A implantação de câmeras de vídeo nas dependências escolares, que já vem sendo feita desde o ano passado, é apenas um dos itens que compõem o plano de segurança desenvolvido pela Secretaria de Educação em parceria com a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo. 

Publicidade